Empreendedorismo na Advocacia

Não é novidade que os cursos de direito formam mais candidatos que o mercado absorve. O número total de registros profissionais nas regionais da OAB supera um milhão. O número de inscritos no exame da ordem supera anualmente os cem mil.

A maior parte dos advogados recém habilitados almeja entrar em uma grande banca e fazer carreira. É hora de pensar em alternativas.  

Fazer parte de uma banca renomada pode enriquecer sua visão sobre os processos administrativos e empresariais, sobre o fluxo de trabalho e até sobre as técnicas jurídicas no dia a dia do escritório. Porém, você deve avaliar a possibilidade de uma não evolução nesta sociedade, então comece logo a analisar este contexto como uma oportunidade de ter deu próprio escritório de alto nível. Se você é capaz de olhar com olhos de empreendedor, possuirá mais portas abertas. 

Os cursos de direito são formadores técnicos de advogados. Entretanto, por atuar como profissional liberal, o advogado precisa mais do que conhecimento jurídico, precisa despertar em si o empreendedorismo.

No direito, o leque de possibilidades para empreender é muito grande. O advogado pode desenvolver projetos onde o direito é a atividade fim, como é o caso das sociedades e das empresas unipessoais. Pode ainda desenvolver projetos onde o direito seja apenas o meio, como em consultorias, empresas de tecnologia ou outro ramo onde os aspectos jurídicos podem representar uma vantagem estratégica.

Exemplos ligados à tecnologia existem aos montes: arbitranet, acordofacil, publicaçõesonline, os sistemas para ‘advogados correspondentes’ e até bots que atuam como conselheiros jurídicos virtuais. Ferramentas tecnológicas que fazem uso do conhecimento jurídico para entregar um serviço.

O empreendedorismo jurídico como atividade fim ganhou novos horizontes com a possibilidade da abertura de uma sociedade unipessoal. Só na OABMG são cerca de 10 processos de abertura por dia. Você certamente conhece alguém que hoje possui um escritório próprio, uma carteira de clientes e está bastante satisfeito.

Dicas

Dicas para você se tornar um empreendedor de sucesso do ramo jurídico:

  • Invista em seu marketing pessoal. A maneira como você se apresenta pode ser determinante em qualquer cenário.
  • Nutra constantemente sua rede de relacionamentos. Uma boa rede pode levar você à pessoa certa no tempo certo.
  • Fique de olho nas finanças. O objetivo de toda empresa é dar lucro. Para ter lucro é preciso estar com as contas em dia.
  • Anote todas as ideias e pense sobre elas. Você pode ser o inventor da nova ferramenta disrruptiva milionária do ramo jurídico. Lembre-se que pequenas mudanças podem trazer resultados significantes, então não seja tímido ao apresentar e adotar ideias.
  • Imagine-se empreendedor. Tenha uma participação maior nos resultados do seu próprio trabalho. Saiba quanto pode custar a sua independência. Não se esqueça porém que, embora você não tenha chefe, não tenha horário, ainda terá que atender o cliente com o mesmo respeito e dedicação.
  • Tenha um bom plano, e o tenha escrito. Um plano estratégico permite que você visualize as dificuldades com antecedência e possa engatilhar alternativas e soluções.
  • Esteja atualizado: tecnicamente e tecnologicamente. A tecnologia está mudando o tempo todo a maneira como as coisas são feitas.
E, por fim a dica de ouro:

Toda empresa de sucesso possui uma assessoria contábil de qualidade. Você, porem, não precisa ter profissionais com este perfil em sua empresa. Terceirizando com uma empresa especializada você terá os benefícios de ter acesso a bons profissionais sem perder tempo.

Entre em contato conosco e vamos discutir as suas idéias.

Veja estes links que tratam sobre empreendedorismo na advocacia:

https://www.caamg.org.br/empreendedorismo-na-advocacia/

http://www.pejota.com.br/2016/10/17/como-regularizar-um-escritorio-de-advocacia/

Postado em Contabilidade Especializada, Dicas LegaisTagged , , , , ,